Conecte-se conosco

Filmes

5 filmes de Joel e Ethan Coen para ver na Netflix e no Prime

Os quatro trabalhos mais recentes da dupla e Onde os Fracos não Têm Vez estão disponíveis em streaming

Planeta Flix

Publicado

em

Foto: Netflix/Divulgação

submarino.com.brThe Ballad of Buster Scruggs é, sem dúvida, o grande lançamento do ano entre os filmes originais da Netflix.  Escrito e dirigido pelos irmãos Joel e Ethan Coen, o longa disponível desde 9/11 está bem acima da produção de nível corriqueiramente mediano que leva o selo do serviço de streaming.

O projeto, inicialmente, seria uma série, mas os diretores acabaram por resumir a ideia no longa-metragem dividido em seis histórias ambientadas no Velho Oeste. Algumas muito bem-humoradas outras nem tanto, mas todas narradas com um visual deslumbrante e diálogos que só podiam ter sido escritos pelos Coen.

E com a estreia de The Ballad of Buster Scruggs a Netflix mantém no ar uma dose tripla da dupla. Também estão disponíveis no serviço o suspense eletrizante Onde os Fracos Não Têm Vez (2007) e a comédia Ave César! (2016). Quem achar pouco pode mudar pro Prime Vídeo para completar o programa.

Richard Linklater em dose tripla no Prime Vídeo

Lá estão disponíveis outro faroeste  de Joel e Ethan Coen, Bravura Indômita (2010), o drama Inside Llewyn Davis – Balada de um Homem Comum (2013) e também o suspense Onde os Fracos Não Têm Vez. Confira as sinopses dos filmes um a um.

The Ballad of Buster Scruggs (2018)
São seis contos independentes, ambientadas no Velho Oeste, com destaque para as duas primeiras. O filme abre com um inusitado “musical” (que tem o mesmo título do longa) em que Tim Blake Nelson interpreta um carismático rei do gatilho. James Franco (foto lá em cima) protagoniza a segunda, Perto de Algodones, vivendo um fora-da-lei que enfrenta um absurdo sistema judiciário. Na Netflix.

Ave César! (2016)
Os irmãos Coen pecam pelo excesso nesta comédia que não está entre seus melhores trabalhos. São tantos bons atores e bons personagens mal explorados que o filme deixa a desejar. Passa-se nos anos 1950, em Hollywood, onde um ator é sequestrado no meio das filmagens da produção Ave César por uma organização chamada “Futuro”. Com George Clooney e Josh Brolin. Na Netflix.

SaraivaOnde os Fracos Não Têm Vez (2007)
De fato, quem tem nervos fracos deve evitar este suspense eletrizante estrelado por um Javier Bardem possuído. Ele vive um assassino psicótico impiedoso que chega ao Texas, nos anos 1980, para acertar as contas com um caçador (Josh Brolin) que se apossou indevidamente de uma valise de dinheiro. Mas o xerife local (Tommy Lee Jones) dificulta sua tarefa. Na Netflix e no Prime Vídeo.

Inside Llewyn Davis – Balada de um Homem Comum (2013)
Um grande momento dos irmãos Coen este drama musical sobre cantor e compositor que sonha em viver da sua música na Nova York dos anos 1960. O cantor Chris Isaac vive o protagonista numa atuação inspirada. Outro cantor real que atua no filme é Justin Timberlake, também no papel de músico. Carey Mulligan e John Goodman também integram o elenco. No Prime Vídeo.

Os 10 melhores filmes que descobri na Netflix

Bravura Indômita (2010)
Outra brilhante incursão de Joel e Ethan Coen no gênero faroeste. E mais uma vez com Josh Brolin no elenco. Ele é um frio assassino que mata o pai da adolescente Mattie Ross (Hailee Steinfeld). Ela contrata então o xerife beberrão Reuben J. Cogburn (Jeff Bridges) para capturar o bandido, com a condição de que ela dive ir junto com ele. Matt Damon completa o elenco. No Prime Vídeo.

Filmes

Netflix estreia o premiado Girl, história de uma bailarina trans

Produção belga levou quatro prêmios no Festival de Cannes e foi finalista ao Globo de Ouro de filme estrangeiro

Planeta Flix

Publicado

em

Foto: Divulgação

Girl, filme belga que estreia na Netflix, traz um tema que nunca deixa de ser polêmico, o transexualismo. Inspirado em uma história real, o longa de estreia do diretor Lukas Dhont conta o drama de Lara, de 15 anos, uma adolescente aspirante a bailarina que, na verdade, nasceu menino e está em plena mudança de gênero.

O processo é doloroso, ainda mais para alguém de personalidade introspectiva como Victor (nome de batismo da personagem). Dhont narra essa transição com distanciamento, mas nunca com frieza, e o tom acertado dado à narrativa é uma das principais qualidades de Girl.

Malwee MalhasO ator também estreante Victor Polster interpreta Lara e impressiona tanto pela atuação quanto pela feminilidade natural, que dispensa maiores acessórios de caracterização. Polster é bailarino de fato. Foi descoberto pelo diretor na escola de dança que frequenta.

Mas não é só por isso que Girl merece atenção. O filme chega ao Brasil direto na Netflix depois de uma bem-sucedida carreira em festivais. A começar pelo de Cannes, onde participou na mostra Um Certo Olhar, de onde saiu com quatro prêmios.

Hotel Artemis, com Jodie Foster, é novidade no Prime
Tom na Fazenda, de Xavier Dolan, está em cartaz no Mubi

Girl levou o prêmio principal (Fipresci, dado ao melhor filme da mostra), além dos de melhor diretor (Câmara de Ouro), melhor ator e a Palma Queer (prêmio independente atribuído ao melhor filme LGBT do festival francês).  Também foi um dos finalistas ao Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro, disputou no Goya, o Oscar espanhol, e levou prêmios nos festivais de San Sebastian, Estocolmo e Zurique.

Continue lendo

Filmes

Brie Larson, a Capitã Marvel, em cinco filmes no streaming

Netflix, Prime Vídeo e Looke têm filmes com a atriz, em ascensão desde que levou o Oscar por O Quarto de Jack

Planeta Flix

Publicado

em

Foto: Divulgação

Desde 2016, Brie Larson está em evidência. Naquele ano foi premiada com o Oscar, o Globo de Ouro e o BAFTA — entre outros vários prêmios de melhor atriz — por sua atuação em O Quarto de Jack. Agora, o motivo é a exibição nos cinemas de Capitã Marvel, em que ela aparece como Carol Danvers, ou seja, a própria heroína do título.

Apesar do status de estrela de primeira grandeza adquirido nos últimos anos, Brie Larson vem batalhando desde 1998, quando começou fazendo participações em séries de pouca repercussão por aqui. Daí foram muitos curtas-metragens e filmes para tevê, até finalmente ser notada.

Ata-me no Prime: Almodóvar nunca é demais
Jason Momoa, o Aquaman, em filme alternativo na Netflix

Mesmo assim, a atriz já tem uma filmografia a ser considerada. E alguns dos filmes em que ela aparece estão disponíveis em plataformas como Netflix, Prime Vídeo e Looke. Confira aqui onde assistir a cinco desses filmes em streaming.

O Castelo de Vidro (2017)
Neste drama, baseado em best-seller de Jeannette Walls, Brie interpreta jovem de família pobre, nômade e um tanto desequilibrada. Destin Daniel Cretton dirige. Com Naomi Watts e Woody Harrelson. Disponível no Prime Vídeo.

O Quarto de Jack (2015)
O filme que deu o Oscar de melhor atriz a Brie Larson. Drama pesado sobre mulher que viveu confinada em um quarto, sendo estuprada frequentemente. Ela fica grávida e quando o filho faz cinco anos resolve fugir. Disponível na Netflix.

O Apostador (2014)
A atriz está acompanhada por Mark Wahlberg, Jessica Lange e John Goodman neste thriller sobre professor de literatura viciado em apostas, que começa a correr risco quando se envolve com gângsteres. Disponível na Netflix.

Os Segredos de Tanner Hall (2009)
A história três estudantes de um internato na Nova Inglaterra que enfrentam dificuldades com o início da vida adulta e a chegada de uma nova colega. Brie vive uma delas, as outras são interpretadas por Rooney Mara e Amy Ferguson. Disponível na Netflix e no Prime.

De Pernas Pro Ar (2009)
Nesta comédia, Brie Larson é uma das integrantes da família do personagem de Danny DeVito, um senhor que resolve tomar medidas drásticas para expulsar os filhos preguiçosos de casa e desfrutar de sua aposentadoria. Disponível no Looke.

Continue lendo

Filmes

Ata-me no Prime: Almodóvar nunca é demais

Filme de 1989 traz Antonio Banderas e Victoria Abril em uma trama mirabolante típica do diretor

Planeta Flix

Publicado

em

Foto: Divulgação

Pedro Almodóvar estreia neste mês na Espanha seu filme mais recente, Dor e Glória. Enquanto não chega por aqui, vale rever Ata-me, que estreou no Prime Vídeo, porque filme de Almodóvar (pelo menos a maioria) é isso mesmo: a gente vê e tempos depois vê de novo e sempre descobre um motivo a mais para gostar.

Ainda mais quando o longa traz Antonio Banderas e Victoria Abril na flor da idade, numa trama temperadíssima pelo humor e pela particular visão do amor e do sexo do cineasta espanhol. É o caso de Ata-me, que foi lançado há exatos 30 anos mas mantém a graça e o frescor.

No filme Banderas é Ricky, rapaz que sai de um reformatório psiquiátrico e acaba vai para direto à procura de Marina Osorio (Victoria Abril), ex-atriz pornô, viciada em heroína. Ele a encontra num set onde ela roda um filme de terror e, na sequência, invade a casa da atriz e resolve amarrá-la, até que ela aceite ser sua esposa.

No mirabolante e surpreendente desenrolar da história, passam atores vistos em outros filmes de Pedro Almodóvar trabalhou como Loles León, Maria Barranco, Rossy de Palma, Julieta Serrano e Francisco Rabal.

 

Continue lendo

Mais lidas

Copyright © 2018 PlanetaFlix - Um mundo inteiro para você curtir a partir do seu sofá. contato@planetaflix.com.br

error: Conteúdo protegido!